Portada » Ensaios » Toyota GR Supra Premium: Supraendente

Toyota GR Supra Premium: Supraendente

É impossível falar do novo Supra sem mencionar a BMW. Feito na mesma linha de montagem do Z4, o primeiro desportivo da Toyota produzido fora do Japão oferece um nível de condução exigente, um motor de 340 CV e uma “banda sonora” viciante que apetece ouvir em “loop”.

Estávamos em 2012 quando a BMW e a Toyota assinaram um acordo para o desenvolvimento de células de hidrogénio, tecnologias de eletrificação e materiais mais leves. Deste acordo também constava a produção de um desportivo que surge agora no mercado: o novo Supra, o primeiro Toyota de índole mais dinâmica a ser produzido fora do Japão. Há alguma controvérsia no que diz respeito à divisão de tarefas. A Toyota diz que a BMW é o parceiro ideal porque tem um dos melhores motores de seis cilindros do mundo e que acaba por ser o segredo da personalidade deste GR Supra (as iniciais de Gazoo Racing que consta em todos os Toyota desportivos), mas não explica porque a plataforma, a distância entre eixos, a caixa de velocidades, bem como a eletrónica são partilhados com o novo Z4, todavia não é preciso ser muito inteligente para perceber que é tudo uma questão de poupança. Seja como for, a verdade é que o GR Supra é um dos clássicos desportivos japoneses mais famosos do mundo. Se lhe pedirmos para enumerar os cinco primeiros automóveis japoneses que lhe vêm à cabeça, provavelmente dirá Supra, Mitsubishi Lancer Evo, Subaru Impreza, Nissan Skyline e Mazda MX-5.

Vamos ao que interessa

Mas, afinal como é este novo Toyota GR Supra? Apesar de toda a partilha de componentes com o BMW Z4, o design é tipicamente japonês, com grandes curvas e linhas fora do comum. A carroçaria, integralmente produzida em alumínio, tem o condão de não deixar ninguém indiferente. Uma espécie de “ou se ama ou se odeia”, mas a verdade é que destila personalidade. Tem 4,37 metros de comprimento, 1,85 m de largura e apenas 1,29 m de altura, surgindo bem “calçado” com jantes forjadas de 19 polegadas envolvidas por pneus Michelin Pilot Super Sport desenvolvidos especificamente para este modelo. Lá dentro é tudo muito familiar… porque a maioria dos comandos e botões são os mesmos que a BMW utiliza nos seus modelos, como também o excelente sistema multimédia e até a qualidade dos materiais, que é evidente um pouco por todo o habitáculo. O interior não é tão tipicamente japonês como o exterior, mas em troca o Supra oferece a já mencionada qualidade e uma excelente ergonomia. Um dos pontos negativos que implicou este desenvolvimento conjunto com a BMW é o facto do nipónico ter perdido, pela primeira vez, os lugares traseiros, mas o resto do habitáculo é espaçoso, até para ocupantes de estatura mais elevada, e os bancos são perfeitos na forma como envolvem o corpo e o deixam na posição correta para “atacar” a condução.

O que esconde o capô?

A parte mecânica está a cargo de um motor 3.0 turbo de 340 CV de seis cilindros em linha associado a uma caixa automática ZF de oito velocidades, exatamente o mesmo motor que podemos encontrar no Z4 M40i. O resultado é fantástico. É muito rápido e o binário de 500 Nm está disponível logo às 1.600 rpm, mantendo o mesmo fôlego até às 5.000 rpm. Perto das 7.000 rpm, a caixa ZF mete mais uma relação, de forma rápida e precisa, e o Supra continua a ganhar velocidade de uma forma incrível. Para ajudar, o eixo traseiro conta com um diferencial ativo que reparte o binário de forma minuciosa entre as duas rodas e consegue também a proeza de o fazer derivar a 100% para a mesma roda. Por isso, a motricidade é de grande nível e facilita a tarefa quando é preciso colocar o eixo traseiro em “drift” controlado (é preciso desligar o ESP).
Na consola central existe um botão “Sport” que permite alternar entre os dois modos de condução disponíveis, “Normal” e “Sport”,que atuam sobre quatro elementos: motor, caixa de velocidades, suspensão e direção, e são bem notórias as diferenças entre ambos. 
 Em percursos de curvas, o Supra revela-se muito rígido e proporciona grande confiança ao condutor. A direção é precisa e direta (apenas duas voltas entre topos) e o equilíbrio geral do carro é perfeito, com uma distribuição de pesos equitativa graças, em parte, ao facto de quase todo o motor estar posicionado atrás do eixo dianteiro. A largura de vias e o baixo dentro de gravidade resultam numa dinâmica muito competente. Não há sinais de subviragem e se acelerar mais do que a conta, a sobreviragem acontece de forma previsível e natural. Claro que para atingir este último patamar será preciso ligar, pelo menos, o modo intermédio do controlo de estabilidade.
A suspensão é branda, tornando o Supra confortável numa condução diária e não interfere quando se opta por uma mais desportiva, deixando a ideia de que este Toyota é um carro fácil de conduzir em “modo” rápido. A pior nota vai para os travões. Com pinças de quatro pistões e assinados pela Brembo, são muito potentes numa primeira fase, mas depois de algumas travagens mais bruscas perdem compostura e ficam com um tato pouco preciso… Travam sempre, mas após um troço de condução mais empenhada é difícil calcular quanto é preciso pressionar o pedal de travão para “abrandar”.
 Em Portugal, o Supra está disponível a partir dos 81 mil euros com uma lista de equipamento muito completa.

CONCLUSÃO

O novo GR Supra é um desportivo sensacional. Conserva pilares básicos das gerações anteriores, como o motor dianteiro de seis cilindros em linha, a tração traseira ou a sobrealimentação… Até o próprio logótipo Supra é tremendamente parecido com o do antecessor. A génese BMW está bem camuflada, mas a Toyota não esconde, nem nunca escondeu, as origens desta quinta geração do mediático japonês. Até porque se não houvesse parceria… não havia novo Supra!

Texto Ricardo Carvalho / Fotos Paulo Calisto

Toyota GR Supra Premium

FICHA TÉCNICA

TIPO DE MOTORGasolina, 6 cilindros em linha, turbo
CILINDRADA2.998 cm3
POTÊNCIA340 CV entre as 5.000 e as 6.500 rpm
BINÁRIO MÁXIMO500 Nm entre as 1.600 e as 4.500 rpm
V. MÁXIMA250 km/h
ACELERAÇÃO4,3 s (0 a 100 km/h)
CONSUMO (WLTP)7,5 l/100 km (misto)
EMISSÕES CO2 (WLTP)170 g/km
DIMENSÕES (C/L/A)4.379 / 1.854 / 1.292 mm
PNEUS255/35 R19 (fre.)  /  275/35 R19 (tras.)
PESO1.570 kg
BAGAGEIRA290 l
PREÇO81.000€
GAMA DESDE81.000 €
IUC565,89
LANÇAMENTOJunho de 2019

EQUIPAMENTO

SÉRIE: Airbags frontais, laterais (dianteiros) e de cortina; airbags para os joelhos do condutor; controlos de estabilidade e tração; diferencial ativo; sistema de alerta de pré-colisão (PCS); alerta de ângulo morto (BSM); deteção traseira de aproximação de V; reconhecimento de sinais de trânsito; cruise control adaptativo; ar condicionado automático, estofos e volante multifunções em pele, bancos desportivos; câmara traseira, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros; sensores de luz e chuva, retrovisores elétricos aquecidos e retráteis; linha de escape dupla; travão de mão elétrico; pedais em alumínio; Head-up display; espelho retrovisor eletrocromático; sistema de som JBL; sistema de infoentretenimento com ecrã de 8”, entrada USB, Bluetooth e navegação; e jantes em liga leve de 19 polegadas.

OPCIONAIS: Pintura metalizada (1.000 €)

Acrescentar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMA EDIÇÃO
Siga-nos no Facebook