TESTE – TOYOTA COROLLA TS 1.8 HYBRID TREK – O Corolla para ciclistas

A Toyota assinou uma parceria com os americanos das bicicletas Trek para desenvolver uma versão mais aventureira da carrinha Corolla. A Trek só dá o nome, mas a dose de radicalismo está lá, reforçada pela presença de pormenores que fazem desta uma carrinha única. Aqui surge na versão com motor 1.8 híbrido de 122 CV.

O mercado é dominado pelos SUV, ainda que existam algumas alternativas muito apelativas a estes, como as carrinhas de aspeto aventureiro, um conceito estreado já lá vão uns anos pela Volvo XC70 e que muitas marcas tem sabido aproveitar desde que os crossover ganhara protagonismo. Tendo como ponto de partida a versão Touring Sports (carrinha) do carro mais vendido do mundo, a Toyota confere-lhe um aspeto mais radical e aventureiro, mantendo as vantagens de espaço na mala face a alguns SUV. Tendo estas ideias em mente, partimos para o teste à versão Trek da carrinha Corolla equipada com motor 1.8 híbrido de 122 CV.

O que é afinal um Corolla Trek?
A versão Trek da carrinha Corolla nasce a partir de uma associação da marca de automóveis japonesa à marca americana de bicicletas Trek e não é mais do que uma alternativa estética 2 cm mais elevada ao solo e com equipamento específico de uma carrinha Corolla. Assim, encontramos guarda-lamas com rebordos em plástico a lembrar um SUV, pintura específica e lá dentro, bancos com forros exclusivos e molduras de madeira ao redor das saídas da ventilação e na parte superior dos painéis das portas. Ou seja, as únicas vantagens são exatamente estas, até porque não há qualquer tipo de tração integral ou um ESP “especial” como acontece em alguns modelos do Grupo PSA.
À frente encontramos um para-choques que se diferencia pelo facto da grelha estar envolvida em plástico mais rugoso em vez do plástico negro acetinado das versões mais requintadas ou desportivas. Encontramos também um lábio inferior de cor alumínio mate que imita uma falsa proteção do cárter.
Atrás, é possível observar um para-choques redesenhado no qual se repete a solução da parte inferior na cor de alumínio a fazer lembrar a “tal” proteção.
As próprias cores da carroçaria são específicas desta versão.
Quanto aos acabamentos, a nota é elevada. Tudo foi feito com qualidade, a tonalidade da pintura está de acordo com vários pormenores interiores e está tudo a combinar.

Motor chega e sobra… para o asfalto
Já tínhamos gostado imenso da versão com o novo motor 2.0 híbrido, por isso optámos por fazer alguns quilómetros com o bloco 1.8 de 122 CV. A potência é gerida por uma caixa de velocidades CVT, não temos o fulgor dos 184 CV do 2 litros, mas temos a mesma suavidade e facilidade de condução, todavia com mais ruído quando se acelera, mas nada que choque, até porque foi reforçada a quantidade de materiais isolantes na zona que divide o motor do habitáculo.
Para além dos modos de condução: Eco, Normal e Sport, há ainda uma posição “B” na caixa que permite recuperar a energia em travagens e em reduções de velocidade. Para privilegiar a condução relaxada é preciso ter alguns cuidados, o típico num híbrido, e utilizar o cruise control sempre que possível para conseguir os consumos mais reduzidos. Em cidade, onde o motor elétrico toma a rédea das ocorrências, é exatamente o local onde este 1.8 consegue fazer a diferença face aos seus concorrentes a gasóleo. Em estrada e com pé leve, é possível manter os consumos na ordem dos 6,2 l/100 km. Com o pé mais pesado não é difícil chegar aos 8,5 l/100 km.
Na nossa unidade, equipada com jantes de 18″ (opcionais por 1350 euros), o pisar é trabalhador, impedindo que o asfalto da ocasião incomode. As ligações ao solo são firmes, mas mesmo pelas calçadas da cidade o conforto está assegurado. Se o percurso for sinuoso, a carrinha Toyota é capaz de surpreender pela forma como se deixa levar, premeditada e segura. Em tudo o resto, sobressai pelo espaço interior e bagageira, mas também pela qualidade de construção aplicada no tablier, painéis das portas e pilares.
Convincente como citadino, local onde se irá sentir como peixe na água, e competente em autoestrada.

Texto: Ricardo Carvalho

FICHA TÉCNICA
TOYOTA COROLLA TS 1.8 Hybrid Trek
TIPO DE MOTOR             Gasolina, 4 cilindros em linha, atmosférico

CILINDRADA                         1.798 cm3

POTÊNCIA                       98 CV às 5.200 rpm

BINÁRIO MÁXIMO           142 Nm às 3.600 rpm

MOTOR ELÉTRICO                   Síncrono de íman permanente

POTÊNCIA                             72 CV

BINÁRIO MÁXIMO                163 Nm

BATERIA                                Iões de lítio

MOTOR HÍBRIDO                  Híbrido elétrico-gasolina

POTÊNCIA COMBINADA      122 CV

BINÁRIO COMBINADO         N.D.

TRANSMISSÃO                     Dianteira, caixa de variação contínua

V.MÁXIMA                              180 km/h

ACELERAÇÃO                                  10,9 s (0 a 100 km/h)

CONSUMO                            4,8 l/100 km (misto)

EMISSÕES CO2                    110 g/km

DIMENSÕES (C/L/A)                  4,650/1,790/1,435  mm

PNEUS                            225/40 R18

PESO                                     1400 kg

BAGAGEIRA                    581 litros

PREÇO                                  33 855 €

GAMA DESDE                                   23 834 €

I.CIRCULAÇÃO (IUC)                       137,14 €

LANÇAMENTO                                  maio de 2020

 

 

 

 

 

 

Publicidade
ÚLTIMA EDIÇÃO
Publicidade
Siga-nos no Facebook