Portada » Destaques » Teste – KIA PROCEED 1.0 T-GDI GT LINE – Sedutor europeu

Teste – KIA PROCEED 1.0 T-GDI GT LINE – Sedutor europeu

Reforçando a sua estratégia no mercado europeu, a Kia lança a inovadora carrinha ProCeed onde o estilo é o ponto forte. Mas não só: esta ‘shooting brake’ beneficia de acerto condizente para condução mais emocionante para famílias em que versatilidade e estilo não têm de ser características antagónicas.


Fundamental na estratégia da Kia na Europa, o novo Ceed tem agora uma gama completa de três carroçarias, juntando-se esta ProCeed às já existentes versões de cinco portas (compacto) e carrinha convencional SW. Esta variante ‘shooting brake’ adota uma filosofia mais estilizada na secção traseira, com visual dinâmico a cunhar uma identidade muito particular num segmento em que as alternativas são muito escassas e que tem no Mercedes-Benz CLA Shooting Brake o rival mais aproximado (embora Premium).

Assim, esta cartada da Kia pode pagar fortes dividendos, sobretudo conhecendo-se o apelo que os europeus sentem por propostas arrojadas esteticamente. Não é, também, de ignorar o facto de a ProCeed ter sido desenvolvida de e para os clientes do Velho Continente, adotando igualmente uma postura dinâmica particular. A sua diferença estética face ao Ceed de cinco portas fica bem refletida no facto de ter apenas em comum o capô e as cavas das rodas dianteiras. Todos os outros painéis da carroçaria são diferentes. Prosseguindo no jogo das diferenças, a altura é 43 mm menor do que a Ceed SW e a altura ao solo igualmente inferior em 5 mm.

Dinâmica familiar
Ainda que recorra à mesma plataforma da restante família Ceed, a Kia procedeu a algumas alterações a nível técnico para condução mais desportiva, como as suspensões independentes com molas e amortecedores específicos (mais firmes), barras estabilizadoras mais suaves e direção mais direta. A melhor parte é que esse trabalho foi bem realizado, com o ProCeed a oferecer agilidade e elevada precisão nas trajetórias, tirando partido desse tal acerto mais desportivo. Com uma postura robusta e segura, dá ao condutor grande confiança para percursos sinuosos com passagens velozes em curva, a troco de uma ligeira penalização do conforto dos ocupantes, devido à referida maior firmeza do amortecimento.

Com competência
A unidade 1.0 T-GDi de três cilindros a gasolina constitui a opção de acesso à gama, debitando 120 CV de potência e 172 Nm de binário logo às 1.500 rpm. Este bloco de apenas um litro dá boa conta de si, com acelerações enérgicas e respostas progressivas que lhe permitem registar bons ritmos, mesmo que não consiga explorar todo o potencial do chassis. Bem insonorizado e suave, a sua elasticidade de funcionamento evita recurso frequente à caixa manual de seis velocidades (de escalonamento acertado), com exceção nas recuperações mais rápidas, onde a relação peso/potência acaba por ditar as suas leis. Ainda assim, nada de preocupante. O consumo em ritmo quotidiano situa-se na casa dos sete litros, com o nosso teste a registar 6,8 l/100 km com alguns cuidados com o pedal do acelerador.

Funcional como convém
O interior beneficia de elementos que atribuem maior sensação de requinte, com feliz combinação de revestimentos macios na parte superior do tablier e nas portas com elementos em preto brilhante e cromados escovados noutros pontos, como em redor da alavanca da caixa. A parte inferior do habitáculo é dominada por plásticos mais rijos, de boa aparência, contudo, tudo isto envolto em construção cuidada. No tablier, além de ergonomia acertada dos comandos, destaque para o ecrã tátil de 8” (20 cm) com sistema GPS Connected Services da Kia, fornecidos pela TomTom. O sistema de infoentretenimento permite integração com smartphones através do Apple CarPlay ou do Android Auto, sobressaindo pelo bom posicionamento e facilidade de utilização.

Fruto de uma distância entre eixos de 2.650 mm (a mesma da carrinha), a habitabilidade merece nota positiva, sobretudo nos lugares posteriores, com espaço mais do que suficiente em altura e para as pernas, até mesmo no caso de adultos com mais de 1,80 metros. Isso é conseguido graças ao rebaixamento dos assentos, que compensa a descida mais precoce do tejadilho face à SW. Idealmente, como em tantos do segmento, viajam quatro adultos com conforto.

O acesso à bagageira faz-se a partir do portão com acionamento elétrico, revelando uma área funcional com 594 litros de capacidade (contra 625 da Ceed SW), disponibilizando ainda diversos espaços úteis de arrumação sob o piso.

Argumento de relevo é o do equipamento, com o ProCeed a surgir neste caso apenas em versão GT Line, com volante e bancos desportivos, jantes de 17” e diversos assistentes à condução, como o Assistente de Controlo de Máximos, Auxílio de Manutenção na Faixa ou Aviso de Colisão Dianteira com Travagem Automática. Isto com um preço ‘canhão’ de 25.090 €, mediante plano de financiamento feito pela Kia que implica desconto de 4.650 €. Além disso, conta com os tradicionais sete anos de garantia!

Texto Miguel Silva Fotos Paulo Calisto

FICHA TÉCNICA

KIA PROCEED 1.0 T-GDI GT LINE

TIPO DE MOTOR Gasolina, 3 cilindros em linha, turbo

CILINDRADA 998 cm3

POTÊNCIA 120 CV às 6.000 rpm

BINÁRIO MÁXIMO 172 Nm às 1.500-4.000 rpm

V. MÁXIMA 190 km/h

ACELERAÇÃO 11,3 s (0 aos 100 km/h)

CONSUMO 5,5 l/100 km (misto)

EMISSÕES CO2 125 g/km

DIMENSÕES (C/L/A) 4.605 / 1.800 / 1.422 mm

PNEUS 225/45 R17

PESO 1.360 kg

BAGAGEIRA 594-1.545 l

PREÇO 25.090 €

GAMA DESDE 25.090 €

I.CIRCULAÇÃO (IUC) 102,81 €

LANÇAMENTO Janeiro de 2019

EQUIPAMENTO

SÉRIE

Airbags dianteiros, laterais (dianteiros) e de cortina; controlos de estabilidade e tração; alerta de proximidade para o veículo da frente; alerta de colisão com travagem automática; alerta de saída de faixa; sensor de pressão dos pneus; assistente de arranque em subida; cruise control; ISOFIX; sensores de chuva e luz; ar condicionado automático bi-zona; faróis LED; luzes diurnas de LED; assistente de comutação de luzes de máximos; reconhecimento dos sinais de trânsito; bancos forrados a couro e tecido; bancos desportivos GT Line com combinação em couro e camurça; volante multifunções com regulação em altura e profundidade; sensores de estacionamento traseiros; câmara traseira; abertura elétrica da tampa da mala; retrovisores elétricos retráteis; vidros traseiros escurecidos; acesso e arranque sem chave; travão de estacionamento elétrico; sistema de infoentretenimento com ecrã tátil de 8”, entrada USB, Bluetooth, navegação TomTom, Apple CarPlay e Android Auto; carregador sem fios; e jantes de liga leve de 17 polegadas.

OPCIONAIS

Pintura metalizada (430 €); teto de abrir panorâmico (950 €); sistema de som Premium JBL com 8 altifalantes (500 €); Pack ADAS – inclui alerta colisão frontal peões, detetor do ângulo morto e alerta de tráfego à retaguarda (800 €).

Acrescentar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMA EDIÇÃO
Siga-nos no Facebook