Teste – BMW 220D GRAN COUPÉ – Puro-sangue

A BMW replica a aposta nos coupé de quatro portas das suas gama superiores com o novo Série 2 Gran Coupé. Uma democratização que chega pela mão da plataforma de tração dianteira partilhada com o Série 1. O 2 litros de 190 CV é a opção Diesel mais “desportiva”.

Depois do sucesso da carroçaria coupé de quatro portas em segmentos superiores, a BMW procura transpor a mesma formula para um formato mais compacto. Chega assim o Série 2 Gran Coupé que se posiciona como uma alternativa mais desportiva a uma berlina clássica e cujo principal rival será o Mercedes-Benz CLA Coupé.
O novo modelo é desenvolvido com base no irmão Série 1 e partilha com este a plataforma “FAAR” de tração dianteira, numerosos elementos de design exterior e interior e, ainda, várias opções mecânicas.

Perfil coupé

A secção dianteira, com faróis em LED de série, mantém os rasgos principais do Série 1, mas à medida que o olhar se desvia para a secção traseira surgem as diferenças: as quatro portas sem aro e a linha de tejadilho ligeiramente inclinada que cai suavemente sobre a traseira proporcionam uma imagem muito desportiva. Atrás sobressaem um farolins horizontais também em LED com um desenho que evoca os do apelativo Série 8 Gran Coupé.

A bagageira disponibiliza 430 litros de volumetria, o que supõe mais 50 litros que um Série 1. Um aumento explicado, não só, pelo formato, como pelo facto do Gran Coupé ser 21 cm mais comprido que o modelo que lhe serve de base. Assim, as dimensões fixam-se nos 4,53 metros de comprimento, por 1,80 m de largura e 1,42 m de altura. Ainda em elação à bagageira, o acesso é um pouco contido por causa do referido formato da carroçaria, mas a sua capacidade pode ser ampliada com o rebatimento do encosto do banco traseiro na proporção 40:20:40.

Tecnologia em alta…

Aberta a porta, percebe-se a presença massiva de tecnologia com um posto de condução totalmente digital graças ao conceito BMW Live Cockpit que conta com dois ecrãs de 10,25″: painel de instrumentos e sistema multimédia. Este sistema de infoentretenimento oferece possibilidades quase infinitas e pode ser acionado através do comando circular iDriver Controller, por gestos (reconhece sete gestos distintos), de forma tátil no ecrã ou mediante o BMW Intelligent Personal Assistant (sistema de reconhecimento vocal muito semelhante ao MBUX da Mercedes-Benz.

A habitabilidade não é um dos seus pontos fortes. Nos lugares dianteiros, ocupantes com mais de 1,80 m acabam por roçar com a cabeça, mesmo com os bancos numa posição muito baixa. Atrás, o espaço é exíguo e com mais de 1,70 m é bem possível que bata com a cabeça no teto. Para além disso, a entrada e saída dos lugares traseiros não é das mais confortáveis, devido ao formato da porta.

O Diesel perfeito

A grande aposta da BMW para este modelo é a versão 220d equipada com o 2 litros TwinPower a gasóleo de 190 CV, que surge acoplado à caixa automática Steptronic de 8 velocidades.

Na prática, a aceleração, mesmo a fundo, é sempre constante e decidida, seja em modo “Comfort” ou “Sport”, e o bom escalonamento da transmissão Steptronic consegue compensar uma eventual necessidade de maior potência, sem comprometer os consumos; um dos trunfos deste Diesel, tendo em conta o nível de prestações: 235 km/h de velocidade máxima e 7,5 segundos nos 0 aos 100 km/h. Números que não desiludem… Já o modo “EcoPro” permite uma condução económica, com a função “velejar” sempre que se alivia o pé do acelerador, fazendo com que os consumos desçam para valores bastante reduzidos.

Em estrada, a habitual precisão e facilidade de manuseamento que caraterizam os BMW continua intacta, bem como tudo o que diz respeito ao comportamento dinâmico. A suspensão de série nesta versão desportiva M Sport é 10 mm mais baixa e oferece um bom compromisso entre rigidez e conforto. É mais firme, ajuda na vertente dinâmica, mas nunca interfere com o conforto.

Na verdade, tudo começa com uma posição de condução de eleição, onde se sente a qualidade de um chassis que chega e sobra para lidar com as capacidades do motor, sobretudo quando ajudado pelos pneus 235/35 a envolver atraentes jantes em liga leve de 19″ de design M. A direção transmite corretamente toda a informação necessária e a suspensão filtra bem as irregularidades do piso, apesar de não deixar de as “comunicar”. Na realidade, o conforto só não é melhor por causa da altura dos pneus, mas é esta junção de fatores que torna tão cativante a condução do 220d Gran Coupé. Tudo isto aliado a um rigor de construção elevado, tanto na seleção de materiais como na qualidade dos acabamentos, fazendo deste 220d um coupé de nível e com especial apreço por viagens longas a ritmos elevados e com consumos reduzidos.

Texto: Ricardo Carvalho
Fotos: Paulo Calisto

 

FICHA TÉCNICA
BMW 220D GRAN COUPÉ

TIPO DE MOTORDiesel, 4 cilindros em linha, TwinPower Turbo
CILINDRADA1.995 cm3
POTÊNCIA190 CV entre as 2.500 e as 4.000 rpm
BINÁRIO MÁXIMO400 Nm entre as 1.750 e as 4.000 rpm

 

TRANSMISSÃODianteira, caixa automática 8 velocidades
V. MÁXIMA235 km/h
ACELERAÇÃO7,5 s (0 a 100 km/h)
CONSUMO (WLTP)5,6-4,9 l/100 km (misto)
EMISSÕES CO2 (WLTP)146-128 g/km
DIMENSÕES (C/L/A)4.526 / 1.800 / 1.420 mm
PNEUS225/40 R18
PESO1.580 kg
BAGAGEIRA430 l
PREÇO50.923 €
GAMA DESDE36.500 €
I.CIRCULAÇÃO (IUC)224,93 €
LANÇAMENTOMarço de 2020
PREÇO50.923 €
GAMA DESDE36.500 €
I.CIRCULAÇÃO (IUC)224,93 €
LANÇAMENTOMarço de 2020

 

Publicidade
ÚLTIMA EDIÇÃO
Lubrificantes Repsol
Publicidade