Portada » Atualidade » SEAT reclama 70 anos de inovações

SEAT reclama 70 anos de inovações

Com mais de 300 patentes ativas, a SEAT tem uma longa história de inovação ao longo dos seus 70 anos.

Um grande exemplo são três invenções que revelam aspetos fundamentais da SEAT, como a sua visão avançada – a cadeira de segurança infantil de 1955 – a sua pretensão ao design funcional – a alavanca do logótipo do porta-bagagens do facelift da segunda geração do Ibiza – ou, o seu compromisso na aposta com o estilo, com – a alavanca camuflada da porta – da segunda geração do SEAT Leon.

Cadeira infantil (1955)
A primeira patente da SEAT nos 70 anos foi uma cadeirinha (SEAT ES221068A), selada em 1955. Descrevia uma cadeira composta por duas armações metálicas, articuladas para que pudessem dobrar-se sobre si mesmos como um livro, o que tornava a cadeira portátil, mas acima de tudo mais segura do que deixar as crianças nos bancos traseiros sem qualquer retenção (como era feito na época). O seu design aplicava já muitos dos conceitos básicos para um sistema eficaz de retenção de crianças. As hastes de ferro juntamente com duas correias de tecido que limitavam o ângulo máximo entre o banco e o encosto, garantiam a estabilidade da cadeira. Estas tiras permitiam dobrar-se e não eram perigosas no caso de a criança bater com a cabeça com elas. O conforto da criança foi considerado com um apoio e uma base feitos de material flexível, que poderia ser tecido, plástico ou similar.

Hoje sabemos que segurar a cadeira no veículo é essencial. A patente reivindicou a disposição na parte superior de dois ganchos de grande abertura que permitiam que a cadeira fosse pendurada na parte de trás de um assento adulto, especialmente um veículo a motor. Também tinha dois ganchos menores, o que facilitou a utilização da cadeira fora do carro, suspendendo-a como se fosse um baloiço.

O corpo da criança precisa de um sistema de retenção na própria cadeira. O sistema de patentes mostra um cinto de segurança com três pontos de ancoragem. O cinto central é composto por duas fitas que são unidas por uma fivela que é difícil de manusear por uma criança. Era feito de material flexível ou elástico e era ajustável, para se adaptar ao corpo da criança e segurá-la firmemente. Uma terceira correia vertical é colocada entre as pernas da criança, fixada ao cinto e fixada no assento, uma correia semelhante aos arneses de corrida, o que impede que o corpo deslize por baixo do cinto.

Alavanca no logótipo do porta-bagagens (1999)
Na aplicação de modelo utilitário ES1042196U, a SEAT inventa um cilindro de bloqueio com uma cobertura muito especial por várias razões. A descoberta da fechadura requer uma pressão na parte superior da tampa com os dedos ou polegar. Ao fazê-lo, a tampa inclina-se e permite-lhe usar os outros dedos para ajudar a rotação, e ao completar 90 graus, também opera o trinco, libertando o portão traseiro. Ao mesmo tempo, a própria cobertura serve de pega para levantar a porta com um movimento natural ascendente do braço.

O mecanismo é funcional e prático, mas o toque principal foi colocado pelos designers, proporcionando o estilo certo. Especificamente, esta tampa é a característica “S” do logótipo SEAT e viu a sua primeira aplicação em série no restyling da segunda geração do Ibiza. Este modelo de utilidade, que também poderia ser motorizado, manteve-se nos veículos da marca até hoje, como é o caso da atual geração da SEAT Ibiza ou do novo SEAT Leon.

Pega de abertura da porta no vidro traseiro (2007)
O vidro traseiro que aparece em muitos carros, atrás das janelas traseiras, permite a expansão da área de visão para os ocupantes traseiros. Na maioria dos modelos, há uma distância notável entre o vidro traseiro e o lado posterior. No entanto, os designers da SEAT decidiram que podiam dar continuidade à superfície de vidro da área traseira na segunda geração SEAT Leon. Isso permitiu ganhar estilo e dinamismo na linha do veículo.

Acrescentar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMA EDIÇÃO
Siga-nos no Facebook