Portada » Ensaios » Mercedes-Benz E 300 de: e se for este o futuro?

Mercedes-Benz E 300 de: e se for este o futuro?

A Mercedes-Benz continua a investir em novas formas de mobilidade. Neste E 300 de estreia um conceito híbrido plug-in a gasóleo que alia os baixos consumos de um motor Diesel com alguma da autonomia de um carro elétrico. O resultado é surpreendente.

Atualmente, os híbridos plug-in ainda são uma opção reservada a poucos. Quer seja pelo seu preço, quer pela tradicional desconfiança lusa, ainda não são assim tantos os clientes que se deixam levar pelos seus encantos. A verdade é que para além das muitas vantagens, também acarretam alguns inconvenientes. A maioria anuncia uma autonomia elétrica de 50 quilómetros, o que permite cumprir a maior parte das deslocações urbanas. Regra geral, quando a bateria se esgota, os motores térmicos a gasolina, dos quais dependem, trabalham sem ajuda do motor elétrico e começam a rubricar consumos elevados por causa do maior peso do conjunto e do arrasto extra que o sistema elétrico obriga.

Na Mercedes-Benz pensaram numa solução diferente, e este Classe E é o primeiro de uma tecnologia que pode ser o futuro imediato. Em vez de um motor a gasolina pouco eficiente, a marca de Estugarda instalou um bloco Diesel de dois litros com 194 CV, o mesmo que utiliza na versão E 220 d. E, se neste já se destaca pelo consumo reduzido, com a ajuda de um motor elétrico, esses números podem descer ainda mais.
O 2 litros Diesel é combinado com um sistema elétrico dotado de uma unidade de 122 CV de potência (enviados sempre para o eixo traseiro) e de uma bateria de 13,5 kWh de capacidade (9,3 kWh úteis). Esta é carregada através do carregador integrado no veículo a um máximo de 7,4 kW, processo que demora 1 hora e 30 minutos (de 20 a 100%). Numa tomada doméstica, a 3,7 kW, a operação completa-se em seis horas. A tomada de carga é que podia ter sido colocada no veículo num local mais funcional. Fica situada na esquina direita do para-choques traseiro, numa zona que pode ser pouco ergonómica, dependendo do posicionamento do carregador.

Baixo consumo

Regressando ao motor elétrico, os seus 122 CV são suficientes para “mexer” o carro com celeridade, ainda que os interessantes 440 Nm de binário sejam uma ajuda preciosa. Funciona até pouco mais de 130 km/h, permitindo andar não só em cidade, como em estrada, onde garante uma autonomia entre os 30 e os 35 km (anuncia 54 km). Porém, é na cidade que se tira melhor partido deste propulsor, graças à travagem regenerativa que aproveita toda a energia para carregar a bateria. De facto, A travagem regenerativa é a alma deste veículo através da função Eco Assist, um assistente de eficiência que combina vários sistemas, como o leitor de sinais de trânsito ou os radares, para alterar de forma autónoma o funcionamento do travão e do acelerador. Por exemplo, em estrada, se detetar um veículo à sua frente, trava através de um gerador elétrico para manter a distância e ganhar energia para a bateria. Acontece o mesmo quando lê um sinal de velocidade numa via, mesmo a descer, mantendo fixa a velocidade legal enquanto carrega as baterias. Mas é preciso estar atento, pois na maioria das vezes a suave desaceleração apanha-nos de surpresa porque não entendemos que é o Eco Assist a atuar.

Sempre refinado

Quando acaba a potência elétrica ou necessitamos de uma resposta mais contundente, entra em ação o motor Diesel; bastante refinado e que não fica a dever nada a um gasolina. Além disso, tem as vantagens habituais do gasóleo: consumo ajustado que, no caso deste E 300 de, se cifra nos 2,5 l/100 km, aproveitando, claro está, ao máximo a energia elétrica. É precisamente aqui que reside a sua vantagem. No caso de realizar percursos longos para os quais a autonomia elétrica é insuficiente, o consumo mantém-se em valores reduzidos, com médias entre os 5,5 e os 6 l/100 km (quando a carga da bateria se esgota, funciona como um híbrido convencional). Nada mal para uma berlina de 306 CV (potência combinada)…

Conforto elevado

O Classe E híbrido plug-in é também senhor de um nível de conforto muito elevado. Apesar da suspensão pneumática ser opcional, a de série já oferece um equilíbrio que não cansa com o passar dos quilómetros, ao mesmo tempo que proporciona um comportamento interativo, sempre pronto para abordar curvas. Mesmo com os mais 345 kg do peso das baterias, o E 300 de acaba por ser muito divertido de conduzir.
De igual modo, o posicionamento das baterias obrigam a uma redução da bagageira de 540 para 400 litros, porém, pode sempre optar pela E 300 de carrinha que também cede em volume (fica-se pelos 480 litros), mas ganha em versatilidade. Em tudo o resto são iguais, incluindo equipamentos e assistentes à condução habituais na marca.
Em termos de preço, o E 300 de arranca nos 69.900 euros, ou seja, mais 8.700 € que um E 220 d de 194 CV e menos 250 € que um E 300 d, que tem “apenas” 245 CV e não tem qualquer ajuda elétrica. É fazer as contas!

CONCLUSÃO

O preço é elevado, mas o resultado é excelente. Consome sempre pouco e anda muito. Uma espécie de “dois em um” perfeito para quem usa o carro diariamente em trajetos curtos, onde pode rolar sempre em modo elétrico, e realiza de forma regular trajetos de media/longa distância.

Texto Eduardo Lausín / Fotos Paulo Calisto

Mercedes-Benz E 300 de

FICHA TÉCNICA

TIPO DE MOTORDiesel, 4 cilindros em linha, turbo
CILINDRADA1.950 cm3
POTÊNCIA194 CV às 3.800 rpm
BINÁRIO MÁXIMO400 Nm entre as 1.600 e as 2.800 rpm
MOTOR ELÉTRICO
POTÊNCIA122 CV (90 kW)
BINÁRIO MÁXIMO440 Nm
ALIMENTAÇÃOBateria de iões de lítio
SISTEMA HÍBRIDO
TIPO DE MOTORHíbrido elétrico-Diesel
POTÊNCIA TOTAL306 CV
BINÁRIO MÁXIMO700 Nm
V. MÁXIMA250 km/h
ACELERAÇÃO5,9 s (0 a 100 km/h)
CONSUMO (WLTP)1,5 l/100 km (misto)
EMISSÕES CO2 (WLTP)41 g/km
DIMENSÕES (C/L/A)4.923 / 1.852 / 1.475 mm
PNEUS245/45 R18 (fre.) / 275/40 R18 (tras.)
PESO2.060 kg
BAGAGEIRA400 l
PREÇO72.903 €
GAMA DESDE55.250 €
IUC136,72
LANÇAMENTOMaio de 2019

EQUIPAMENTO

SÉRIE Airbags frontais, laterais (dianteiros) e de cortina; airbag de joelhos para o condutor; controlos de estabilidade e tração; suspensão Agility Control com afinação conforto; sistema de alerta do cansaço do condutor; sistema de alerta de colisão; adaptative break; ajuda ao arranque em subidas; sensor de pressão dos pneus; pack Parking com câmara de marcha atrás; travão de estacionamento elétrico; patilhas desportivas de seleção da caixa de velocidades Direct Select no volante; comando Dinamic Select; linha de design interior AMG; volante desportivo multifunções em pele; linha de design exterior AMG; cruise control com limitador de velocidade; faróis LED; sensores de chuva e luz; ar condicionado automático bizona; bancos dianteiros aquecidos e regulação elétrica; estofos em pele; retrovisores elétricos aquecidos e retráteis; cockpit panorâmico; cabo de carregamento para Wallbox e estações de carregamento; Mercedes-Benz Emergency Call System; módulo comunicações Mercedes me connect 4G; sistema multimédia com ecrã de 12,3’’, entrada USB, Bluetooth, navegação e funções Apple CarPlay e Android Auto; pré-instalação para Live Traffic Information; e jantes de liga leve de 18 polegadas.

OPCIONAIS Pintura metalizada (1.100 €); pack de assistência à faixa de rodagem – inclui assistente de ângulo morto e assistente de faixas de rodagem (450 €); pack de assistência à condução – inclui Active Distance Assist e Active Steering Assist (1.800 €); Multibeam LED – inclui assistente de máximos Plus e sistema de luzes inteligente Multibeam LED (1.350 €); vidros escurecidos (410 €).

Acrescentar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMA EDIÇÃO
Siga-nos no Facebook