Kia com quota recorde de vendas em Portugal no mês de agosto

A Kia Corporation obteve um total de vendas à escala global de 217 204 unidades em agosto de 2021, um aumento de 0,1% em relação ao período homólogo de 2020.

Em Portugal, agosto pautou-se pela tendência robusta de crescimento, com a marca a obter, pelo segundo mês consecutivo, a sua melhor quota de sempre, superando os 4,5%.

Em Portugal, a Kia vendeu 355 viaturas em agosto, confirmando, assim, um ano de crescimento acentuado, com um aumento de vendas acumulado de 51%, face aos primeiros oito meses de 2020, num mercado a crescer apenas 10%. Esta marca coloca a Kia com 3,23% de quota de mercado média desde janeiro.

A Kia é, de resto, a marca que mais cresce no TOP 15 nacional, tendo como modelos mais vendidos o Stonic (1.061 unidades), Rio (656), XCeed (407), Picanto (392) e Niro (260).

No conjunto dos mercados globais, o SUV Sportage e o Seltos foram os modelos de maior sucesso em agosto, com, respetivamente, com 32 388 e 20 561 unidades vendidas, seguidos de perto pelo Rio (conhecido como Pride em alguns mercados), com 17 769 unidades.

As vendas fora da Coreia diminuíram 1,4% em relação a agosto de 2020, para as 176 201 unidades. Este decréscimo ficou a dever-se principalmente à rotura da cadeia de abastecimento de semicondutores por todo o globo. Nas regiões fora da Coreia, o Sportage encabeçou o ímpeto das vendas, com 25 817 unidades. Seguiram-se o Seltos, com 17 837 automóveis vendidos, e o Rio, com 17 769.

Já na Coreia, a Kia registou 41 003 vendas, um aumento de 6,6% em relação a agosto de 2020. O novo Sportage, lançado em julho, liderou as vendas neste que é o mercado de origem da marca.

A Kia continuará focada em manter o seu ímpeto de crescimento e em aumentar os seus resultados através da introdução de novos modelos no mercado, nomeadamente o EV6 (veículo elétrico) e o novo Sportage.

A Kia continuará também a adotar medidas antecipadas no sentido de minimizar os riscos para o negócio decorrentes do novo aumento dos casos de COVID-19 e dos problemas das cadeias de abastecimento.

Publicidade
ÚLTIMA EDIÇÃO
Publicidade