O novo filme Electrikhana com o Audi S1 e-tron quattro Hoonitron e Ken Block já foi visto mais de quatro milhões e meio de vezes em apenas três semanas.

Os comentários são a prova: o S1 Hoonitron é inspirador. Visualmente, baseia-se no lendário Audi Sport quattro S1, enquanto tecnicamente combina os destaques dos sistemas de transmissão elétricos da Audi da produção em grande escala e dos desportos motorizados.

O Audi S1 Hoonitron tinha de estar pronto, em menos de oito meses, para os primeiros test drives e para as filmagens com Ken Block e a sua equipa – uma tarefa ambiciosa para a equipa Audi Sport, em Neckarsulm, e para a equipa Audi Design. O resultado é mais do que impressionante: desde o lançamento do filme Electrikhana há três semanas, milhões de pessoas têm vindo a seguir o S1 Hoonitron pelas ruas, casinos e parques de estacionamento de Las Vegas, com Ken Block ao volante.

Aqui ficam alguns factos e números sobre este Audi diabólico que pôs Las Vegas a arder:

– A distribuição de peso entre os eixos dianteiro e traseiro é igual a 52:48.
– A suspensão com escoras McPherson nos eixos dianteiro e traseiro e mais de 200 milímetros de curso da mola foi produzida para satisfazer as condições mais exigentes e incluindo os saltos longitudinais.
– Com este conceito básico, o Audi S1 e-tron quattro Hoonitron tem as características ideais para drifting e para acrobacias em diferentes terrenos.
– A transmissão de todas as rodas do Audi S1 e-tron quattro Hoonitron é totalmente elétrica. Os eixos dianteiro e traseiro são acionados por uma unidade de motor-gerador (MGU), que vem do desporto automóvel.
– Cada uma destas duas unidades pesa apenas 55 quilogramas, incluindo a transmissão.
– Quatro baterias de alta tensão de um modelo padrão Audi PHEV, cada uma com uma capacidade de 14,4 kWh, totalizando 57,6 kWh, abastecem o sistema de transmissão e funcionam a 800 volts.
– A distribuição de energia elétrica entre os eixos dianteiro e traseiro é totalmente variável. Pode ser perfeitamente adaptada à vontade do condutor e pode influenciar diretamente o comportamento de auto-condução.
– Cada MGU desenvolve 250 kW de potência e 320 Nm de torque. O resultado é uma potência total de 500 kW e 640 Nm de binário.
– Uma vez que os motores elétricos atingem velocidades máximas de 28.000 rpm, a equipa de engenharia definiu um rácio de engrenagem de cerca de 12:1 para os drifts. Tendo em conta as perdas, obtém-se um binário de cerca de 3.000 Nm em cada eixo, ou 6.000 Nm no total.
– Graças a estes valores extremos de binário, é possível a Ken Block fazer drifts espetaculares e atingir uma velocidade de mais de 200 km/h.

Pode ver ou rever o vídeo aqui

Publicidade
ÚLTIMA EDIÇÃO
Publicidade